Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar ESJP

11
Mai22

DIA DA EUROPA (II)

BE - ESJP

thumbnail_image6.jpg 

Decorreu hoje no auditório da ESJP, a sessão evocativa do Dia da Europa, 9 de maio, com a projeção do filme: "Adeus Lenine!", realizado por Wolfgang Becker, seguida de debate com os alunos das três turmas do 12ºano, do curso de Línguas e Humanidades, na disciplina de História A. Iniciativa promovida pelos professores Sérgio Lima e Ricardo Presumido, do grupo disciplinar de História.

 

09
Mai22

DIA DA EUROPA

BE - ESJP

thumbnail_IMG-0043.jpg 

Dia 9 de maio de 1950, pelas 16h00, Robert Schuman, o então ministro dos Negócios Estrangeiros de França, apresentou, no Salon de l'Horloge do Quai d'Orsay, em Paris, uma proposta com as bases fundadoras do que é hoje a UE.

Esta proposta, conhecida como "Declaração Schuman", baseada numa ideia originalmente lançada por Jean Monnet, destacava os valores de paz, solidariedade, desenvolvimento económico e social, equilíbrio ambiental e regional e incluía a criação de uma instituição europeia supranacional incumbida de gerir as matérias-primas que, nessa altura, constituíam a base do poderio militar: o carvão e o aço.

Em 2022, esta declaração comemora o seu 72.º aniversário. 

Por se considerar que esse dia foi o marco inicial da UE, os Chefes de Estado e de Governo, na Cimeira de Milão de 1985, decidiram consagrar o dia 9 de maio como "Dia da Europa".

Está patente, na Biblioteca, uma mostra de trabalhos do 7º ano alusiva à efeméride, no âmbito da Geografia

 

15
Mar22

JORGE SILVA MELO | 1948-2022

BE - ESJP

1676391.jpg 

Fundador, com Luis Miguel Cintra, do Teatro da Cornucópia, pai dos ainda activos Artistas Unidos, cineasta, escritor, crítico, dramaturgo, editor, tradutor, cronista: Jorge Silva Melo, figura crucial da cultura portuguesa, morreu esta noite, aos 73 anos, confirmou a Casa do Artista. Preparava-se para estrear, no próximo dia 23, uma encenação de Vida de Artistas, de Noël Coward, que deveria ficar até 10 de Abril no São Luiz Teatro Municipal.

Nascido em Lisboa a 7 de Agosto de 1948, passou a infância em Angola, na então Silva Porto (actual Kuito), e iniciou-se no teatro quando, de regresso a Portugal, frequentava a licenciatura em Filologia Românica na Faculdade de Letras.

O cinema viria a ser uma paixão paralela deste intelectual omnívoro, tão apaixonado pela leitura como pela escrita, pelos autores como pelos actores, que em 1969 partia para Londres com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, para estudar na London Film School. Com a cooperativa Grupo Zero, primeiro, e em nome próprio, depois, assinou alguns títulos incontornáveis do cinema português do pós-25 de Abril, como Passagem ou A Meio Caminho (1980), Ninguém Duas Vezes (1985), Agosto (1987) ou Coitado do Jorge (1993). A Cinemateca exibiu em 2020 uma retrospectiva de toda a sua obra, acompanhada da exibição de um ciclo de 20 filmes escolhidos por Jorge Silva Melo.

LER+ AQUI

Fonte: o jornal diário o PÚBLICO

15
Mar22

VENCEDORES DO CARTAZ DA PAZ 21-22 | LIONS CLUB

BE - ESJP

Grande Vencedor 2021_22.jpg 

Cartaz vencedor

 

 

Madalena.jpeg 

Cartaz da Madalena Ribeiro - 8º ano

 

A aluna Madalena Ribeiro, da ESJP, criou a obra artística selecionada a nível nacional para o Concurso da Paz pelo Lions Club, a qual foi escolhida para um dos 23 prémios de honra ao mérito pelo 34º Concurso Internacional do Cartaz sobre a Paz. Por esse motivo, congratula-se a aluna pelo esforço, trabalho e dedicação artística, a qual foi parabenizada a nível distrital, no dia 12 de fevereiro pelo Lions Club do Montijo em Setúbal.  

Aproximadamente 600.000 crianças de 55 países participaram do Concurso do Cartaz sobre a Paz deste ano. O Cartaz da aluna Madalena Ribeiro foi selecionado conforme a criatividade, originalidade e representação do tema, “Estamos Todos Conetados”.

A obra da Madalena Ribeiro estará exposta no mês de maio na galeria da Câmara Municipal do Montijo, ainda em data a definir, juntamente com todos os outros trabalhos das escolas do Montijo que participaram neste concurso.

 

08
Mar22

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA | Fase Municipal – Resultado

BE - ESJP

PNL2021_CNL_PecasDigitais_Instagram_Face.jpg 

Ontem, 07/03/2022, teve lugar a Fase Municipal do Concurso Nacional de Leitura, na qual nos apresentamos com os alunos vencedores da Fase Escolar, da nossa Escola.

Para grande satisfação de toda a nossa Comunidade Escolar, comunicamos que os alunos Maria Benedita Neves do 8.º I, e Rodrigo Santos, do 8.º A, irão representar a nossa escola na Fase Intermunicipal do Concurso, ao nível do Ensino Básico.

O aluno Francisco Soares, do 10.º E ,irá representar a nossa escola, na referida Fase, ao nível do Ensino Secundário.

Agradecemos a todos os alunos e demais intervenientes e parceiros que colaboraram na realização desta 2.ª fase do Concurso Nacional de Leitura.

 

03
Mar22

PELA PAZ NA UCRÂNIA E NO MUNDO

BE - ESJP

Captura de Ecrã (5).png 

No próximo dia 7 de março pelas 10h00, nos campos desportivos da nossa Escola, terá lugar a Iniciativa de âmbito solidário "PELA PAZ NA UCRÂNIA E NO MUNDO"

 Assim convido todos os Colegas a solidarizarem-se com esta Causa que é de todos e cuja iniciativa partiu de alunos da ESJP. Para participar basta comparecer na hora indicada no cartaz em anexo, com uma peça de roupa branca vestida.

  Esta iniciativa pretende também constituir-se como continuidade de outras iniciativas solidárias.

Assim e de mãos dadas com a Associação " Ucranian Refugees Help UA.pt" (com filial no Montijo e de que fazem parte pais e alunos da nossa Escola), neste mesmo dia, daremos início à recolha de bens como:

Meias de aquecimento; Sacos de cama; Cobertores/Edredons; Medicamentos tais como: compressas, luvas cirúrgicas, soro fisiológico.

Contamos com a participação e ajuda de todos.
Juntos somos mais fortes!
 
17
Fev22

EXPOSIÇÃO | BENEDITA KENDALL

BE - ESJP

transferir.jpg 

Galeria Municipal do Montijo, 22 de janeiro a 5 de março

Segundo Valter Hugo Mãe a “pintura de Benedita é sempre uma narrativa, procura ilustrar por metáforas situações nas quais nos podemos perfeitamente rever sem que a linguagem se torne perfeitamente explícita, prisioneira de um código prévio.”

Benedita propõe-nos, segundo a própria “uma reflexão sobre os tempos que correm, onde fomos confrontados com o tempo e o espaço exíguo e diminuto das nossas vivências” numa representação de aspetos da nossa vida quotidiana e do isolamento em que vivemos.

Benedita Kendall nasce no Porto em 71, em 86 frequenta um Curso de Desenho na FAUP (Faculdade de Arquitectura) e, em 94, conclui o curso de Artes Plásticas - pintura, na FBAUP (Faculdade de Belas Artes) e o Curso de Desenho de Figura Humana na International Sommer Academie de Salzburg, na Áustria, leccionado por Jim
Dine. É Professora de Artes no Ensino Secundário, tendo concluído o Mestrado em Práticas e Teorias do Desenho na FBAUP.

Exposição patente até 5 de março de 2022.

Entrada gratuita.

Horário da Galeria Municipal: 3.ª a sábado | 09h00-12h30 / 14h00-17h30

Nota: Uso obrigatório de máscara de proteção individual.

16
Fev22

TEATRO | UMA ODISSEIA, O CADÁVER, O PORCALHÃO E A MUSA

BE - ESJP

273037661_489730836059156_9129639070702294703_n.jp 

Sábado dia 19 de fevereiro, no Fórum Cultural de Alcochete às 21.30h. Entrada grátis

“Fala-me, Musa, do homem versátil que tanto vagueou”, assim começa a Odisseia de Homero.
Pegámos nesta ideia de viagem e aventura para contar uma história, uma odisseia, uma viagem pela literatura portuguesa.
E vamos rir. Sim, rir. Não conhecemos nada tão eficaz para seduzir leitores e já agora, para viver. Havemos de rir com as venturas e desventuras destes personagens convocados nos livros dos autores que nos formaram (Camões, Pessoa, Eça, Garcia de Resende) e dos que nos continuam a ajudar a pensar e a conhecermo-nos melhor (Valério Romão, António Gedeão, José Luís Parrado, Tatiana Alves, José Saramago). Havemos de rir com os seus planos, as suas lutas, as suas aspirações, os seus amores e desamores, com as suas quedas. E a rir, havemos de aprender qualquer coisa. A lermo-nos melhor, por exemplo. E a lutar contra o medo com armas melhores do que pistolas e espadas"
 

Guião: Cristina Paiva, Rodolfo Castro, João Brás

Textos: Abade de Jazente , Ana Hatherly, António Gedeão, Aristóteles, Eça de Queirós, Fernando Pessoa, Garcia de Resende, Gonçalo M. Tavares, Hélia Correia, Homero, José Saramago, Luís de Camões, Luis Filipe Parrado, Maria Teresa Horta, Mário Cesariny, Mário de Sá Carneiro, Nuno Júdice, Regina Guimarães, Ruy Belo, Tatiana Alves, Valério Romão, Vinicius de Moraes e Wislawa Szymborska

Encenação: Rodolfo Castro

Interpretação: Cristina Paiva, Lia Vohlgemuth e João Brás

Música: Joaquim Coelho

Coreografia: Lia Vohlgemuth e Rodolfo Castro

Figurinos: Maria Luiz

Execução de guarda-roupa: Margarida Viana

Som: Fernando Ladeira

 
 
14
Fev22

DIA DOS NAMORADOS

BE - ESJP

 

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões


 

10
Fev22

ALBERT CAMUS | AUTOR DO MÊS PNL

BE - ESJP

Albert-Camus.jpg 

Albert Camus nasceu em Mondovi, na Argélia, a 7 de novembro de 1913. Licenciado em Filosofia, participou na Resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial e foi então um dos fundadores do jornal de esquerda Combat. Em 1957 foi consagrado com o Prémio Nobel da Literatura pelo conjunto de uma obra que o afirmou como um dos grandes pensadores do século XX. Dos seus títulos ensaísticos destacam-se O Mito de Sísifo (1942) e O Homem Revoltado (1951); na ficção, são incontornáveis O Estrangeiro (1942), A Peste (1947) e A Queda (1956). A 4 de janeiro de 1960, Camus morreu num acidente de viação perto de Sens. Na sua mala levava inacabado o manuscrito de O Primeiro Homem, texto autobiográfico que viria a ser publicado em 1994.